O Vinho desta Semana

Share Button

O vinho é uma bebida nacional que assume um importante papel na nossa economia e na dinamização do nosso mundo rural. É por isso muito importante que se desmistifique o elitismo associado ao consumo de vinho de boa qualidade. Hoje em dia podemos orgulharmo-nos de termos uma produção de vinhos de grande qualidade a preços muito acessíveis, pelo que o seu consumo está ao alcance de todos e recomenda-se. Com moderação, claro.
A minha paixão pelo tema será aqui expressa com sugestões de bons vinhos a preços moderados, procurando sempre originalidade e diferenciação, espero que gostem e que seja um estímulo para consumirem mais e melhores vinhos portugueses.

Para a estreia da Papel escolhi um vinho tinto alentejano de uma casta pouco conhecida para a maioria, o Terra d’Alter Alfrocheiro 2010.

vinhodalter

Este vinho é feito na sua totalidade com uvas da casta Alfrocheiro, uma espécie muito utilizada na região do Dão, de onde se presume ser originária, mas que aqui, “fora do seu habitat”, proporciona um vinho absolutamente notável e saboroso. Não são casos virgens os vinhos feitos exclusivamente de Alfrocheiro no Alentejo, mas poucos se podem gabar de ter sido tão bem sucedidos como este.

Este vinho foi vinificado por Peter Bright, enólogo e sócio da Companhia de Vinhos Terras de Alter, com as tais uvas de Alfrocheiro provenientes das suas vinhas da região de Alter do Chão, próximas da Serra de São Mamede.

A bonita garrafa, com um rótulo sóbrio e moderno, serve de cartão de visita para este vinho de cor violeta, muito aromático, com frutos silvestres e agradáveis notas vegetais. Na boca tem bom corpo, à boa maneira alentejana, boa estrutura, equilibrado e fresco, que é como quem diz que se bebe perigosamente bem. O final é persistente e guloso, o que aliado aos 14,5º de álcool exige cuidados redobrados no seu consumo.
É um vinho muito versátil à mesa mas, sendo do Alentejo, sugere-se um prato igualmente desta região. Por exemplo uns lombinhos de porco com migas, que irão casar lindamente com este tinto. Custa cerca de 6,5€ e podem encontrá-lo nas principais garrafeiras do país.

Espero que se divirtam a descobrir esta sugestão e que cultivem o vosso gosto pelo vinho. À vossa.

Share Button
Jorge Nunes

Jorge Nunes

Colheita de 70. Enófilo apaixonado, Alfacinha babado, Melómano amador, Benfiquista assumido. Autor do Blog Jojojoli onde partilha a sua paixão pelo mundo do vinho e da gastronomia. Co-autor do projecto Desafios da Adega onde se democratiza o enoturismo através de visitas a produtores.

More PostsWebsite

Follow Me:
TwitterGoogle Plus

  • http://twitter.com/zone41 Ricardo Bernardo

    Muito agradável este teu primeiro artigo.
    E a bem da desmistificação do consumo de vinhos de qualidade, que venha o próximo artigo!